a carregar..

Urbanização do Souto
Bitarães - Paredes
(+351) 255 391 592
geral@bitfit.pt

Beber leite: sim ou não?

Publicado em 2018-10-31

Beber leite: sim ou não?

Nos últimos anos as doenças crónicas têm aumentado drasticamente, sendo consideradas uma das principais causas de morte em todo o Mundo.

Hoje em dia, sabe-se que, a nutrição é considerada a determinante modificável mais importante das doenças crónicas, com provas científicas de que a alimentação tem um forte efeito, sobre a saúde ao longo da vida.

Sucessivamente, surgem novos alimentos e dietas proibidas ou milagrosas que desafiam até o regime alimentar mais saudável e equilibrado. Sem querer comprar uma guerra, hoje, a questão que aqui se coloca é sobre o leite, na sua designação genérica, aplicada exclusivamente ao leite de vaca.

O leite foi considerado durante muito tempo (e para mim ainda é) um super alimento, contudo, desde há uns anos, a unanimidade sobre esta questão, perdeu-se. Em Portugal, certamente conseguiríamos encontrar argumentos a favor e contra o consumo de leite, comprovando a divergência de opiniões entre especialistas.

Nos últimos tempos, um elevado número de pessoas tem abdicado do consumo de laticínios, utilizando a argumentação de quem é contra o consumo destes alimentos. Têm surgido estudos controversos sobre o leite, sobre as bebidas alternativas suplementadas, sobre o seu não consumo pela população asiática e sobre a soja.

No meio destes paradigmas, é importante refletir… Que estudos e quantos estudos existem a comprovar a necessidade de abandonar o leite, por completo? Todas as pessoas funcionam da mesma forma, a ponto de terem de abdicar do seu consumo?

No que diz respeito à alimentação, para todo e qualquer alimento devem ser avaliados os prós e os contras associados ao seu consumo, considerando a variabilidade pessoal. Cada caso é um caso.

De facto, o leite tem malefícios para alguns subgrupos populacionais, mas para a população em geral continua a ter mais benefícios.

Sobre o leite e a saúde há muitos mitos, meias verdades e conclusões falaciosas. Abordemos algumas. 

 

“Somos os únicos mamíferos que bebem leite na idade adulta”

Certo. Mas os outros mamíferos só não bebem leite se a ele não tiverem acesso. O Homem parece ser o único mamífero que continua a beber leite após o desmame, no entanto, muitos mamíferos adultos de outras espécies apreciam leite.

O consumo de leite, ao contrário do que há uns anos se pensava, é importante em todas as etapas da vida. É uma importante fonte de proteínas de alto valor biológico e de cálcio, nutrientes necessários, sobretudo durante a fase de crescimento.

Apesar de economicamente caro, o leite é a fonte mais barata de proteínas animais, de alto valor biológico, sendo dos alimentos mais completos de que o homem dispõe.

 

“Leite não previne osteoporose: antigamente não se consumia leite e não se registavam problemas de osteoporose”

Certo. Mas, argumentos sobre o ocorrido no passado não poderão ser considerados válidos porque não há como demonstrá-los claramente. Também tem sido referido que a qualidade dos produtos já não é a mesma de antigamente. É um facto. Mas o que é igual ao antigamente?

Antigamente as pessoas apresentavam menores índices de sedentarismo, apresentavam uma exposição solar maior (trabalhavam ao sol), tinham um peso mais saudável e mesmo não bebendo leite e não comendo laticínios, apresentavam um maior consumo de alimentos com elevado teor de cálcio, o que justifica que não houvessem ou houvessem menos casos de osteoporose.

 

“Cientistas de Harvard suplicam que paremos consumo de leite”

Errado. Em 2011, a Universidade de Harvard excluiu aparentemente os laticínios do seu guia de alimentação saudável. Apesar de os laticínios terem sido retirados da representação gráfica, vem referido que deverão ser ingeridas 1 a 2 porções de laticínios diariamente, transmitindo assim a ideia de que, o leite não deverá ser a bebida de eleição, como acontece em alguns países onde a refeição é acompanhada por leite. Assim, a alteração passa apenas pela limitação/moderação e não pela supressão do consumo do leite.

 

 “O leite provoca cancro da próstata”

Estudos demonstraram que o leite aumentava a prevalência de cancro da próstata, mas para ingestões muito elevadas de leite gordo. Como tudo, o excesso é que torna o consumo prejudicial.

 

Importa ter sempre em mente que, não há alimentos bons, nem alimentos maus, apenas uma boa ou má alimentação. 

Em resposta à questão em epígrafe: se um individuo não sente desconforto gastrointestinal, associado à ingestão de leite, deve beber leite, com moderação.

NUTRIÇÃO

Inês Mota (Nutricionista)

"C.P. 3514N"